fbpx
Inicial / História (página 2)

História

Governadores do Rio de Janeiro – Período colonial (1565 — 1808)

Em 1 de março de 1565 a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro foi fundada por Estácio de Sá, que desta maneira pode ser considerado como o primeiro governador-geral de todo o território fluminense, no período colonial, quando do estabelecimento da Capitania do Rio de Janeiro.

Leia mais »

9º (atual) título eleitoral – 1986

O ano de 1985 marcou o fim da ditadura militar, que durou de abril de 1964 a março de 1985. A chapa oposicionista – liderada por Tancredo Neves, ex-governador de Minas Gerais, e José Sarney, senador do Maranhão – sobrepujou com facilidade a candidatura do regime, encabeçada por Paulo Maluf, deputado federal por São Paulo, e Flávio Marcílio, deputado federal pelo Ceará.

Leia mais »

8º título eleitoral – 1957

A eleição de Getúlio Vargas em outubro de 1950 assinalou a possibilidade do retorno do ideário do nacional-desenvolvimentismo, a ser adaptado para um ambiente institucional democrático. Contudo, mesmo anteriormente à posse, Vargas enfrentaria dificuldades políticas de monta, de sorte que o seu futuro mandato seria marcado por óbices significativos.

Leia mais »

7º título eleitoral – 1951

Na sua terceira fase, em sendo considerado o período de 1930 a 1945 como a era Vargas, a República no Brasil se desenvolveu sob um cenário internacional inicial de otimismo – o fim da Segunda Guerra Mundial – substituído rapidamente por um de tensão, caracterizado como a Guerra Fria, ou seja, a rivalidade entre Estados Unidos – em cujo lado estava o Brasil - e União Soviética. Ademais, não se pode desconsiderar, ainda no plano global, o importante impacto do alvorecer do processo de descolonização afro-asiático.

Leia mais »

6º título eleitoral – 1945

A primeira metade da década de 40 notabilizou-se pela ocorrência da maior confrontação militar da história: a Segunda Guerra Mundial. De um lado, o Eixo, constituído basicamente por Alemanha, Itália e Japão; do outro, os Aliados, formados principalmente por Grã-Bretanha, França, União Soviética e Estados Unidos. O Brasil, a partir de agosto de 1942, integraria esta última aliança, não obstante ter almejado a neutralidade no início do conflito, em vista, dentre outras razões, da diversificação de sua política de comércio exterior ao longo da década de 30. Porém, os rumos do combate, com a entrada dos Estados Unidos no final de 1941, fariam com que o Brasil pendesse para o arco transatlântico.

Leia mais »