fbpx
Inicial / Blog / Governadores do Rio de Janeiro – Período Republicano (1889 — 2014)

Governadores do Rio de Janeiro – Período Republicano (1889 — 2014)

No Brasil, cujo pacto é federativo, o governador é eleito com periodicidade de quatro anos, através do sistema de sufrágio universal ou votação em dois turnos, permitida a reeleição pelo mesmo período. É eleito o candidato que obtiver em primeiro turno 50% mais um dos votos. Sendo esta condição não satisfeita, os dois candidatos mais votados no primeiro turno concorrem no segundo turno, sendo eleito o candidato que obtiver maioria simples, ou seja, maior votação entre os dois concorrentes.

No transcorrer do tempo o cargo correspondente ao do atual governador teve distintas denominações oficiais

Governador é o cargo político que representa o poder da administração estadual e a representação do Estado em suas relações jurídicas, políticas e administrativas, defendendo seus interesses junto à Presidência e buscando investimentos e obras federais. O governador do Distrito Federal, por ser um caso singular (município neutro), exerce certas funções que são cabíveis ao prefeito.

O termo “governador” foi estabelecido a partir de 2012. No entanto, ao longo da história do Brasil, o cargo correspondente ao de governador já existia muito antes, só que com terminologias diferentes. Com funções semelhantes, podemos citar o cargo de donatário e capitão-mor, no Período Colonial; o cargo de presidente de província, no Período Imperial; e o de presidente de estado, na República Velha.

No Brasil, o governador tem um mandato de quatro anos, sendo eleito através do sistema de sufrágio universal. É eleito o candidato que tiver 50% dos votos mais um, caso contrário, os dois candidatos mais votados disputam o segundo turno. Nos Estados Unidos, são os delegados de cada Estado que elegem o governador, ou seja, o sistema de votos é distrital.  Já na China, o governador é eleito pelo sistema central, é o presidente que escolhe os governadores.

Proclamação da República

Nome Início Fim
Francisco Silva 15 de novembro de 1889 16 de novembro de 1889
Francisco Portela 16 de novembro de 1889 10 de dezembro de 1891
José Guimarães 10 de dezembro de 1891 11 de dezembro de 1891
Baltasar da Silveira 11 de dezembro de 1891 3 de maio de 1892
José Porciúncula 3 de maio de 1892 31 de dezembro de 1894
Joaquim Maurício de Abreu 31 de dezembro de 1894 31 de dezembro de 1897
Alberto Torres 31 de dezembro de 1897 31 de dezembro de 1900
Quintino Bocaiúva 31 de dezembro de 1900 31 de dezembro de 1903
Nilo Peçanha (primeira vez) 31 de dezembro de 1903 1º de novembro de 1906
Oliveira Botelho (primeira vez) 1º de novembro de 1906 31 de dezembro de 1906
Alfredo Backer 31 de dezembro de 1906 30 de dezembro de 1910
Oliveira Botelho (segunda vez) 31 de dezembro de 1910 31 de dezembro de 1914
Nilo Peçanha (segunda vez) 31 de dezembro de 1914 7 de maio de 1917
Francisco Guimarães 7 de maio de 1917 19 de junho de 1917
Agnelo Collet 20 de junho de 1917 31 de dezembro de 1918
Raul Veiga 31 de dezembro de 1918 31 de dezembro de 1922
Raul Fernandes 31 de dezembro de 1922 11 de janeiro de 1923
Aurelino Leal 11 de janeiro de 1923 23 de dezembro de 1923
Feliciano Sodré 23 de dezembro de 1923 22 de dezembro de 1927
Manuel Duarte 23 de dezembro de 1927 24 de outubro de 1930
Demócrito Barbosa 24 de outubro de 1930 27 de outubro de 1930
Plínio Casado 28 de outubro 1930 29 de maio 1931
Mena Barreto 30 de maio de 1931 4 de novembro de 1931
Pantaleão Pessoa 5 de novembro de 1931 14 de dezembro de 1931
Ari Parreiras 16 de dezembro de 1931 7 de novembro de 1935
Newton Cavalcanti 7 de novembro de 1935 12 de novembro de 1935
Protógenes Guimarães 12 de novembro de 1935 10 de novembro de 1937
Heitor Collet 23 de março (1ª vez)
10 de novembro (2ª vez)
15 de julho de 1937 (1ª vez)
11 de novembro de 1937 (2ª vez)
Amaral Peixoto (primeira vez) 11 de novembro de 1937 29 de outubro de 1945
Alfredo Neves 29 de outubro de 1945 6 de novembro de 1945
Abel Magalhães 6 de novembro de 1945 10 de fevereiro de 1946
Lúcio Meira 11 de fevereiro de 1946 23 de setembro de 1946
Hugo Silva 23 de setembro de 1946 6 de fevereiro de 1947
Francisco Santos 6 de fevereiro de 1947 8 de fevereiro de 1947
Álvaro Rocha 8 de fevereiro de 1947 24 de fevereiro de 1947
Macedo Soares (PSD) 24 de fevereiro de 1947 30 de janeiro de 1951
Amaral Peixoto (PSD) (segunda vez) 31 de janeiro de 1951 31 de janeiro de 1955
Miguel Couto (PSD) 31 de janeiro de 1955 2 de julho de 1958
Togo de Barros (PSD) 3 de julho de 1958 30 de janeiro de 1959
Osmar Serpa de Carvalho (PSD) 30 de janeiro de 1959 31 de janeiro de 1959
Roberto Silveira (PTB) 31 de janeiro de 1959 28 de fevereiro de 1961
Celso Peçanha (PSD) 1º de março de 1961 7 de julho de 1962
José Janotti (PSD) 7 de julho de 1962 18 de janeiro de 1963
Luís Miguel Pinaud 18 de janeiro de 1963 31 de janeiro de 1963
Badger da Silveira (PTB) 31 de janeiro de 1963 1º de maio de 1964
Cordolino José Ambrósio 1º de maio de 1964 4 de maio de 1964
Paulo Francisco Torres (ARENA) 4 de maio de 1964 12 de agosto de 1966
Teotônio Araújo (ARENA) 12 de agosto de 1966 31 de janeiro 1967
Jeremias Fontes (ARENA) 31 de janeiro de 1967 31 de março de 1971
Raimundo Padilha (ARENA) 31 de março de 1971 15 de março de 1975
Governadores pós-fusão
Floriano Peixoto Faria Lima (ARENA) 15 de março de 1975 15 de março de 1979
Chagas Freitas (MDB)/(PP) 15 de março de 1979 15 de março de 1983
Leonel Brizola (PDT) (primeira vez) 15 de março de 1983 15 de março de 1987
Moreira Franco (PMDB) 15 de março de 1987 15 de março de 1991
Leonel Brizola (PDT) (segunda vez) 15 de março de 1991 2 de abril de 1994
Nilo Batista (PDT) 2 de abril de 1994 1 de janeiro de 1995
Marcello Alencar (PSDB) 1 de janeiro de 1995 1 de janeiro de 1999
Anthony Garotinho (PDT) 1 de janeiro de 1999 6 de abril de 2002
Benedita da Silva (PT) 6 de abril de 2002 1 de janeiro de 2003
Rosinha Garotinho (PSB) 1 de janeiro de 2003 1 de janeiro de 2007
Sérgio Cabral Filho (PMDB) 1 de janeiro de 2007 1 de janeiro de 2011
Sérgio Cabral Filho (PMDB) 1 de janeiro de 2011 3 de abril de 2014
Luiz Fernando de Souza (PMDB) 4 de abril de 2014 Atualidade

Fonte: Wikipédia

Sobre Juliano Sebastian

Consultor político, graduado em Comunicação Social e pós-graduado em História e Ciências Sociais. Gosto muito de samba, NFL, futebol, tecnologia e artes.