fbpx
Inicial / Artigos / Eleição 2012 ainda não acabou em Macaé

Eleição 2012 ainda não acabou em Macaé

Como muitos defendem, eleição não acaba após o resultado das urnas e em Macaé não é diferente. As eleições municipais por aqui foram comumente tensas e complexas nos bastidores, mas para a população muito tranquila que já havia decidido seu prefeito muito tempo antes, Dr. Aluizio (PV). Porém, ainda está confusa a tradução do resultado do segundo colocado, o deputado estadual do PSD, Christino Áureo.

Antes da sucessão, o que sempre era dito pelos corredores é que o então prefeito, Riverton (PMDB), não teria interesse em fazer sucessor. O ditado, ainda mais popular na política, “rei morto, rei posto”, para Riverton é tido como regra. Portanto, seu único interesse na eleição de 2012 seria não criar pelas eleições um adversário maior do que ele ao então futuro prefeito Dr. Aluizio.

A disputa pelo apoio do governo ficou entre o então secretário de governo André Braga (PMDB) e Christino Áureo, secretário de agricultura do governador Sérgio Cabral (PMDB). Para André Braga, seria uma decisão natural ser o escolhido pelo prefeito como candidato à sucessão. Ele foi o principal articulador político do governo, homem de confiança de Jorge Picciani, contra ele o fato de ser pouco conhecido, um grupo político frágil e uma gestão municipal fragmentada.

Christino, por sua vez, depositou todas as suas fichas numa decisão do governador a seu favor e assim tê-lo ao seu lado na mediação da construção do apoio do governo municipal a sua candidatura. André Braga não cresceu e os números apontaram Christino como a opção mais adequada. O acordo demorou meses e pouco antes da eleição, o acordo político saiu, mas saiu tarde para Christino e os desafios que teria pela frente.
O legado e o capital político de Riverton foi dividido entre compromisso com o candidato da máquina e o sentimento de vitória que estava completamente ao lado de Dr. Aluizio. Riverton não fez muitos esforços para unificar a máquina ou interferir neste cenário e André Braga sequer participou publicamente das eleições.

Christino x Riverton

O resultado final não foi de todo mal para Christino. Foram quase 30% dos votos numa eleição polarizada. Ainda não se sabe bem quem pediu para tirar da disputa o radialista Zezé Abreu (PPS) que tinha boa capilaridade nas regiões periféricas da cidade. Embora a retirada de Zezé tenha facilitado a vitória de Dr. Aluizio, pois seus votos migrariam como migraram em maioria para o candidato do PV, tudo faz acreditar que Christino foi quem pediu a retirada do radialista da disputa.

Porque? Mesmo com um resultado imediato ruim, ele sairia objetivamente das eleições como a oposição ou alternativa a Dr. Aluizio independente do resultado nominal das eleições. A disputa agora será pela oposição imediata ao prefeito do PV: Riverton ou Christino?

Tanto Christino quanto Riverton são extremamente hábeis em política, um se destaca pelo pragmatismo e outro pela competência de articulação política e avaliação de comportamentos e conjuntura respectivamente. O resultado de 2012 será diminuído ou amplificado nas eleições de 2014. O resultado de Riverton em 2014 será inversamente proporcional ao resultado de Christino em 2012. Para quem não decidiu se é Christino ou Riverton, está na hora de fazer as suas apostas.

Sucessão do Governo estadual em Macaé

Outro viés interessante na construção do cenário eleitoral de 2014 é a articulação de alguns aliados de Riverton a Garotinho do PR. André Braga, aliado político de longa data de Jorge Picciani (articulador maior do PMDB e do governo estadual) está anunciando sua ida para o PR de Garotinho. As possibilidades da sucessão de Cabral passam a ter alguns sinais mais concretos a partir de então. Todos sempre acreditaram que se Cabral não emplacar Pezão a sua única alternativa será Garotinho, mas como os ânimos andam acirrados entre os dois, mediadores do maior calibre já entraram no circuito para evitar que a tensão não vire suicídio eleitoral.

E em Macaé fica ainda mais clara a continuidade das eleições municipais de 2012. Como o maior interesse de Riverton é voltar a ser prefeito da cidade mas Pezão pode atrapalhar caso eleito. Pezão é o atual nome do PMDB a sucessão do governo do estado do Rio de Janeiro e é aliado político histórico de Christino Áureo e poderá fortalecê-lo caso torne-se governador. E com Lindbergh já tendo o prefeito da cidade Dr. Aluízio (PV) ao seu lado, restou a Riverton o alinhamento a Garotinho.

O movimento do ex-secretário de governo de Riverton e ex-presidente do PMDB local, André Braga, foi feito com muita cautela e coerência. Mas ninguém deixa um parceiro poderoso por um menos poderoso a não ser que seja para fazer a ponte entre estes e torná-los mais fortes juntos e/ou expectativa de poder. E se der certo e garotinho ganhar as eleições de 2014 fará o grupo que acabou de sair do governo Riverton forte novamente e isolará o ex-prefeito na oposição em Macaé. Acredito que na capital nacional do petróleo todos já escolheram seus pares. Christino é Pezão, Dr. Aluízio é Lindbergh e Riverton é Garotinho.

Sobre Juliano Sebastian

Consultor político, graduado em Comunicação Social e pós-graduado em História e Ciências Sociais. Gosto muito de samba, NFL, futebol, tecnologia e artes.